Inacreditável: Maior Recrutador da Al Qaeda é contratado como informante do FBI

Jesse Morton, um dos mais prolíficos recrutadores da Al Qaeda foi contratado como instrutor no programa sobre extremismo da Universidade George Washington.

Leia mais:

Delegado Olim (SP) chama Jornalista Global de Canalha e lixo – Veja o vídeo

Reparar na cor da Urina pode salvar sua vida

Possível cura da AIDS: Criada por Brasileiros

Nos quatro anos em que ele dirigiu o site Revolução Muçulmana, de seu apartamento sem elevador no Brooklyn, Nova York, Jesse Morton tornou-se um dos mais prolíficos recrutadores da Al Qaeda, atraindo numerosos americanos para a ideologia violenta do grupo.

Os homens e as mulheres que ele inspirou com suas postagens e tutoriais na rede mundial foram acusados de tramas como pilotar um avião por controle remoto cheio de explosivos e derrubá-lo sobre o Pentágono e tentar matar um desenhista sueco que satirizou o profeta Maomé. Um de seus colaboradores foi morto em um ataque de drone no Iêmen, onde havia se unido à Al Qaeda na península Arábica. Vários deles combatem hoje pelo grupo Estado Islâmico.

“Nós procurávamos os leões”, disse ele, explicando que muitas vezes recrutava diante das mesquitas, “e deixávamos para eles os cordeiros.”

Morton, 37, hoje está na vanguarda de uma experiência para conter o avanço de grupos como o EI e a Al Qaeda. Após um período como informante do FBI e de ser libertado da prisão no ano passado, Morton foi contratado como instrutor no programa sobre extremismo da Universidade George Washington, onde pesquisará a própria ideologia que um dia ele pregou.

Países como o Reino Unido colocam antigos extremistas para trabalhar em grupos de pensadores para fornecer vozes autênticas contra a ideologia radical, mas Morton é o primeiro jihadista a ocupar esse papel público nos EUA.

Isso não evitou certa ansiedade de seu novo patrão, disse Lorenzo Vidino, diretor do programa de extremismo no Centro para Segurança Cibernética e Nacional da George Washington. Vidino conheceu Morton após a libertação deste, em fevereiro de 2015, iniciando um processo de sabatina de um ano que incluiu entrevistas com sete autoridades policiais diretamente envolvidas em seu caso.

“Não houve uma única voz dissidente”, disse Vidino.

Em uma entrevista a “The New York Times” neste mês, depois de ser perguntado sobre por que alguém deve acreditar que ele realmente mudou, Morton insistiu que está tentando se reparar.

“Espero que eu possa dissuadir o mesmo número de pessoas que viajaram ou cometeram atos criminosos por causa de minhas palavras”, disse ele. “Talvez eu nunca possa reparar os danos que causei, mas acho que pelo menos posso tentar.”

Imperdível: Anvisa Suspende Venda do Omeprazol e Sibutramina

Matérias Relacionadas

Noticias curiosas, mistérios, fotos curiosas, videos engraçados is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache